quinta-feira, 8 de julho de 2010

Ensino Religioso: Ressignificando os Conhecimentos!

“O Ensino Religioso na Prática”

O Ensino Religioso é um componente curricular e uma área do conhecimento. É de matrícula facultativa, parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurando o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer forma de proselitismo. Portanto, sua ênfase deve estar no diálogo intercultural e inter-religioso, de abertura e de respeito mútuo à identidade e à alteridade de cada ser humano (MARKUS, 2002).
O cotidiano da escola permite viver algo da beleza da criação cultural humana em sua diversidade e multiplicidade. Partilhar um cotidiano onde o simples “olhar-se” permite a constatação de que são todos diferentes traz a consciência de que cada pessoa é única e, exatamente por essa singularidade, insubstituível (BRASIL, 1997).
Nesse sentido a disciplina é um espaço onde pode ocorrer a descoberta progressiva do outro ser, numa atitude de respeito, justiça e solidariedade. Por outro lado, também é um espaço democrático de aprendizagem mútua, pois só no encontro com o diferente percebemos que culturas e religiões têm experiências e sabedorias peculiares que, em si, são relevantes para os demais e vão enriquecer não só a disciplina de Ensino Religioso, mas toda a comunidade escolar.
A disciplina de Ensino Religioso encanta a todos que se abrem para a diversidade cultural religiosa presente no mundo. Em cada tema trabalhado percebe-se a importância da disciplina no currículo escolar, pois o Ensino Religioso é um espaço de exercício do diálogo inter-religioso, de uma forma democrática, consciente e respeitosa, que leva a mútua aprendizagem.
Assim, cabe a escola em seu currículo buscar construir relações de confiança para que o educando possa perceber-se e viver como um ser em formação, e para que a manifestação de características culturais e religiosas que partilhe com seu grupo de origem possa ser trabalhada como parte de suas circunstâncias de vida, que não seja impeditiva do desenvolvimento de suas potencialidades pessoais.
Nelson Mandela afirma que “a educação é a arma mais forte que você pode usar para mudar o mundo”. Neste sentido o Ensino Religioso é componente curricular e área de conhecimento da educação. E pode ser agente de mudança. Por esse motivo sonhamos com um mundo em que as pessoas compreenderão que não se pode enquadrar o Transcendente e que o sentimento religioso transcende qualquer transcende qualquer denominação religiosa.
Se o nosso desejo é ter uma educação de qualidade, uma educação que reconheça as diferenças individuais e atinja a compreensão dos conteúdos trabalhados, podemos dar enormes passos com os recursos que dispomos. A tarefa é difícil, mudar é doloroso. Nós educadores temos que acreditar, apesar de tudo, que a melhoria do nosso ensino, depende, se não exclusivamente, principalmente de nós.

Adriana Candido Delphino

Professora e Articuladora do Ensino Religioso de Jaraguá do Sul – SC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário